O que você precisa saber sobre o parto do seu filho

O parto do bebê é um momento único na vida da mulher. Quando ela vê o filho pela primeira vez e se torna mãe, a responsável por um serzinho novo nesse mundo.

Só que o processo para isso se tornar realidade não é fácil e pode ser um pouco assustador. Por isso nesse artigo iremos esclarecer alguns pontos sobre o parto e dar algumas dicas para esse momento tão especial. Vem com a gente?

A coisa mais importante para se definir sobre a reta final da gravidez é o tipo de parto. Entenda melhor as diferenças entre o parto normal e a cesárea no tópico abaixo:

Qual a diferença entre parto normal e cesárea?

O tipo de parto que vão escolher é uma dúvida muito comum para as mamães. São diversos fatores a se levar em consideração, sempre com a orientação do médico em primeiro lugar, é claro.

Segundo o blog Tua Saúde Parto existem alguns pontos importantes a se pensar na hora de escolher o tipo de parto. Entenda:

  • Parto Normal – O parto normal tem uma recuperação mais rápida, tem menos dor no pós-parto e menos risco de complicações. Também deixa uma cicatriz menor, a amamentação é mais fácil e o risco de doenças respiratórias no bebê é menor. Já o parto é muito mais longo o dolorido;
  • Cesárea –  Já a cesárea tem uma recuperação mais lenta, o pós-parto é mais dolorido, a cicatriz é maior e tem mais chances de complicações. O trabalho de parto é mais curto, no entanto, o bebê tem mais chances de doenças respiratórias e a amamentação pode ser mais difícil.

Apesar do parto normal parecer muito normal, olhando assim, há motivos para que a cesárea seja realizada. Então essa comparação não é e nem deve ser o fator chave na hora da sua decisão. Entenda:

Quando a cesárea é recomendada?

A cesariana é um corte feito no abdômen e no útero, para que o médico consiga retirar o bebê. Por não ser benéfica à mãe ou ao bebê, ela só é recomendada em situações de necessidade. Não é algo de se aspirar para o parto do seu filho.

No entanto, segundo o Ministério da Saúde, mesmo tendo seus riscos, no Brasil 40% dos partos realizados foram cesarianas. Esse é um número muito maior do que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde, que é entre 10 e 15%. 

Por isso é importante entender bem as situações em que esse tipo de parto é realmente recomendado e sempre manter constante diálogo com o seu médico. Vamos a algumas das situações que podem trazer o parto cesárea:

  • A posição em que o bebê está;
  • O tamanho do bebê;
  • O cordão umbilical ao redor do pescoço;
  • Partos muito longos que podem acabar prejudicando a oxigenação do bebê.

Ainda há aquelas mães que optam pela cirurgia por medo da dor do parto, das mudanças no corpo e até mesmo de não chegar a tempo no hospital quando chegar a hora. O melhor é sempre conversar com seu médico e pesar muito bem os riscos para uma cirurgia desse porte.

Decidindo pelo parto normal, existe alguma maneira de aliviar a dor?

Existe opção de anestesia para o parto normal?

É possível sim utilizar uma anestesia para aliviar a dor durante o parto, ela se chama epidural. A anestesia é feita no espaço vertebral, diminuindo ou até mesmo tirando a sensibilidade no local e da cintura para baixo temporariamente.

Uma desvantagem que a anestesia faz, é que às vezes a perda da sensibilidade é grande demais e a mãe perde o instinto de empurrar o bebê. O que acaba necessitando muito mais da ajuda médica para saber quando fazer força.

Por isso e diversos outros motivos, cada decisão deve ser realizada em conjunto com o seu médico!

Tem como  me preparar para o parto normal? Presta atenção no nosso próximo tópico!

Como se preparar para o parto normal?

A hora do parto normal pode ser um pouco confusa, muitas emoções e não tanto conhecimento pelo que estar por vir. É normal as mamães acharem que estão em trabalho de parto, mas quando chegam no hospital ainda não estão, é apenas um treinamento ou algo do tipo.

Por isso uma forma interessante de se preparar para o parto é estudando as contrações, com quanto tempo realmente é a hora de ir pro hospital e ter o bebê.

Outra coisa comum de se pensar sobre o dia do parto é a alimentação, o que deve ou não comer. A recomendação é simples, não é necessário realizar jejum, mas é bom optar por comidas mais leves e sucos naturais.

Então, resumindo algumas coisas que já falamos aqui e acrescentando algumas outras importantes, você pode se preparar para o parto da seguinte forma:

  • Praticando exercícios físicos: Exercícios físicos leves, respeitando os seus limites. É ótimo para aliviar dores e desconfortos, além de fortalecer o seu corpo;
  • Com uma alimentação leve e saudável: Coma alimentos leves, opte por sucos naturais e evite alimentos com muito açúcar ou farinha;
  • Estudando detalhes sobre o parto e as contrações: Entenda quando as contrações são só um treino do seu corpo e quando realmente é a hora do parto;
  • Fazendo a sua malinha para levar ao hospital: Prepare os itens que levará para o hospital tanto para você quanto para o bebê;
  • Tenha boas noites de sono: A reta final da gravidez naturalmente lhe dará muito sono, aproveite isso e descanse o máximo possível;
  • Organize a casa: Dê uma organizada na casa, no quarto do bebê. Assim você estará movimentando o corpo e ainda terá tudo no lugar quando voltar do hospital.

E quanto à cesárea, existem formas de se preparar? Vamos descobrir abaixo….

Como se preparar para a cesária?

Para cesárea é importante conversar com seu médico para ter orientações corretas e não se preocupar. É comum que seja preciso um jejum ou algo do tipo. Então converse bem, tire todas as suas dúvidas e vá para a sala cirúrgica tranquila que está tudo certo.

Além disso, você também precisará preparar a mala para a maternidade, com as suas coisas e do bebê. É importante verificar com calma, fazer um check list para garantir que estará tudo lá.

Outro ponto importante sobre a cesariana é que a recuperação é muito mais lenta. Vai demorar em torno de 20 dias para poder fazer exercícios leves. Por isso é essencial planejar com antecedência como serão essas semanas, se alguma outra pessoa poderá ajudar você e ao bebê nessa recuperação.

Sobre a mala da maternidade, você sabe as coisas que não podem faltar? Ainda não? Leia o nosso próximo tópico e descubra tudo o que você precisa!

O que colocar na mala da mãe?

É importante pensar que o momento de ir para a maternidade normalmente é cheio de emoções, com pressa e sem espaço para pensar muito. Então é sempre bom deixar tudo organizado com antecedência, para garantir que quando chegar a hora, é só pegar a malinha e ir para a maternidade.

Esquecer algo não é o fim do mundo, algum parente sempre pode ir buscar ou comprar o que você precisar. Só que ter tudo pertinho, pode deixar mais simples e fácil.

Para isso, fizemos uma pequena listinha com alguns itens interessantes de se ter na mala da maternidade:

  • Camisolas ou pijamas que seja acessível para amamentação, com abertura frontal;
  • Roupão;
  • Calcinhas confortáveis e sutiãs com abertura para amamentação;
  • Meias;
  • Absorventes para os seios, para o caso de vazamento de leite;
  • Absorvente noturno e produtos que você costuma utilizar para higiene pessoal;
  • Escova de cabelo;
  • Escova de dente, pasta de dente e fio dental;
  • Cinta pós parto, principalmente em caso de cesária, permite que a mulher se mova com mais conforto após o parto;
  • Trocas de roupa para os dias na maternidade;
  • Troca de roupa para ir para casa;
  • Sacola de roupa suja;
  • Elástico para o cabelo e chinelo para utilizar no banho.

O que colocar na mala do bebê?

Para o bebê é preciso levar as coisas que você irá precisar para garantir a higiene do bebê. Como trocas de roupas e outros acessórios. Veja abaixo a nossa listinha para a mala do bebê:

  • Entre 4 e 6 trocas de roupa para o bebê incluindo: macacão, body, calça, meia, fralda e casaquinho;
  • Um xale ou coberta, caso esteja frio;
  • Luva e touca, dependendo da estação;
  • Toalhas fralda, dependendo da maternidade eles disponibilizam, esse tipo de toalha é mais macio, então não machuca o bebê;
  • A roupinha para a saída da maternidade;
  • Pacote de fralda descartável para recém nascido;
  • Alcóol 70% ;
  • Toalhinhas de boca;
  • Sabonete líquido com PH neutro;
  • Pomada para assaduras;
  • Lenço umedecido;
  • Saquinho plástico para roupas sujas.

Outra coisa que não vai na mala, mas é bem importante de se levar para o hospital é o bebê conforto. Assim seu pequeno vai para casa com tranquilidade e segurança.

Os itens que falamos são coisas comuns de se levar, mas é claro que você pode acrescentar outras coisas e adaptar de acordo com a necessidade. Converse com suas amigas e familiares, elas com certeza terão várias outras dicas para você!

Quais são os sinais de que está perto da hora?

  • Os movimentos do bebê diminuem – o bebê fica em uma posição para o parto e acaba diminuindo muito os movimentos. Caso você perceba que o movimento parou por mais de 12 horas é preciso entrar em contato com o médico imediatamente;
  • A sensação de que o bebê desceu um pouquinho – Momento de “Queda do Ventre” onde a barriga chega a diminuir um pouquinho, quando o bebê encaixa a cabeça da macia da mãe;
  • A perda do tampão mucoso – Secreção que ocorre dias ou horas antes do parto;
  • Rompimento da bolsa – O famoso momento de “A bolsa estourou” pode ocorrer horas antes do parto;
  • Contrações – Começam indolores e bem espaçadas dias antes do parto. 

Qual a diferença entre a contração verdadeira e a falsa?

A contração falsa é uma maneira de preparar o corpo para o parto, mas ainda não é o momento de correr para o hospital. Nela a barriga endurece, há pontadas na vagina, uma sensação de aperto na barriga…

Não possuem uma frequência exata e acontecem menos de 5 vezes ao dia, lá pelo finalzinho da gravidez. Algumas vezes podem até passar despercebidas, já que passam muito rápido, muitas vezes apenas mudando a posição.

A contração verdadeira, de expulsão, já é diferente! São contrações longas e regulares, ou seja, acontecem em intervalos fixos de tempo, como de 15 em 15 minutos. A barriga fica endurecida por muito mais que um minuto, a dor é maior e fica mais intensa conforme o tempo passa e os intervalos entre as contrações vão ficando mais curtos. Mudar de posição não resolve e não mudam de acordo com a posição do bebê.

É um momento muito intenso, mas totalmente normal. O seu corpo possui instintos naturais para essa situação, é respirar fundo e ficar tranquila que tudo dará certo.

Teve as contrações, foi para o hospital, conheceu o seu bebê, e agora? O que vem no pós parto?

Como funciona o pós parto?

O pós parto é um momento bem delicado para a mulher, principalmente se o parto tiver sido cesariana. O corpo muda, você se sente exausta e ainda precisa estar amamentando o bebê de tempo em tempo.

Durante o pós parto é muita coisa acontecendo ao mesmo tempo. Sangramentos, hormônios à flor da pele, além de visitas que sem dúvidas poderiam ficar para depois. Há também inchaço do corpo, gases, a barriga que leva semanas para voltar ao normal e a amamentação que nem sempre é tão fácil quanto parece.

Por todas essas coisas acontecendo ao mesmo tempo e mais um recém nascido em casa, é bom que se tenha muita calma. Não tenha pressa em fazer tudo, busque alguém para ajudar neste momento e descanse. Afinal, você precisa disso e está tudo bem.

Conclusão

Ter um bebê é um daqueles momentos únicos, mesmo que você tenha outros filhos, não será a mesma coisa. O importante é que você se cuide, cuide do seu pequeno e aproveite cada detalhe desse momento tão especial.

Lembrando que se você tem dúvidas, sempre converse com o seu médico. Ele é a melhor pessoa para te orientar, alguém que é especialista na área e ainda conhece o seu histórico.

Tem alguma outra dica para a preparação para o parto? Conta nos comentários!

Gostou do conteúdo? Você também pode querer ler:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *