criança lendo um livro

Com o mundo super conectado que estamos vivendo hoje, as nações estão ficando cada vez mais próximas. Assim foi surgindo a necessidade muito grande de pessoas que consigam se comunicar em outro idioma.

Sendo algo tão presente hoje, é cada vez mais comum que os papais e mamães comecem a pensar desde cedo em uma Educação Bilíngue para os seus filhos.

A grande questão é como fazer isso da maneira mais positiva para as crianças no hoje e no amanhã. Sem que a criança deixe em momento algum de aproveitar a sua infância.

Por isso nesse artigo iremos tirar várias dúvidas comuns sobre a educação bilíngue. Seja o ensino escolhido dentro das salas de aula ou dentro de casa, com a própria família.

Abordaremos todos esses pontos através das seguintes perguntas:

  • O que é uma educação bilíngue?
  • Quais são as vantagens do bilinguismo?
  • Quais são os mitos sobre a educação bilíngue?
  • Porque investir nesse tipo de educação?
  • Como funciona a educação bilíngue na escola?
  • Quais são os tipos de educação bilíngue?
  • Tem como aplicar uma nova língua em casa?
  • A partir de que idade posso começar com meu filho?

Você está pronta para começar? O primeiro passo será esclarecer exatamente do que estamos falando neste artigo…

O que é uma educação bilíngue?

criança lendo um livro com a letra "e"

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, uma educação bilíngue não é só mergulhar nos livros e aprender um segundo idioma.

Uma Educação Bilíngue é um processo mais natural que pode acontecer tanto através de instituições de ensino quanto em convívio familiar ou regional.

Uma educação bilíngue é quando você tem a oportunidade de aprender os mais diversos assuntos através de duas línguas diferentes. Diferente ter o foco em somente no ensino do idioma.

Na prática, a educação bilíngue é tanto estar imerso no idioma independente do assunto que seja, quanto se abrir para novas culturas. Estar explorando conteúdos e características diferentes que estão espalhadas pelo planeta.

Quer saber o que isso pode trazer de bom para o seu filho? Presta atenção abaixo:

Quais são as vantagens do bilinguismo?

Conseguir se comunicar em outros idiomas podem trazer diversas vantagens para qualquer pessoa. Algumas das principais vantagens que o bilinguismo pode trazer são as seguintes:

  • Alta proficiência no idioma – Estar praticando o segundo idioma diariamente, seja através da escola ou da família, sem dúvidas irá garantir um alto desempenho na língua a longo prazo;
  • Uma visão globalizada – Dominar outra língua vai muito além de falar. Também altera o conteúdo que você consome e a sua percepção de mundo. É possível se tornar um cidadão globalizado;
  • Maior capacidade de concentração – Um segundo idioma leva anos para ser dominado, o que mostra um foco e dedicação que poderá ser reaplicado para diversas outras situações da vida;
  • Melhores chances para a carreira – Escolher desenvolver outra língua mostra diversas características muito procuradas no mercado de trabalho. O que com certeza será um ponto positivo na hora de passar por processos seletivos.
  • Retarda doenças – Aprender e absorver novas regras e percepções através de uma língua estrangeira exercita diferentes partes do cérebro. Alguns estudos mostraram que isso pode inclusive atrasar doenças como Alzheimer.

Ah, mas me falaram que se aprender outra língua a criança não se desenvolve…

Quais são os mitos sobre a educação bilíngue?

Existem alguns mitos muito comuns sobre crianças bilíngues, que acabam deixando os pais receosos de investir nesse modelo de educação. Por isso é importante estar ciente do que é real e do que é apenas lenda popular, sem comprovação nenhuma.

Os principais mitos sobre crianças bilíngues são os seguintes:

  • Começando ainda bebê ou na primeira infância a criança poderá ter atrasos no desenvolvimento;
  • Ter contato com dois idiomas poderá causar distúrbio na fala ou linguagem;
  • A criança fica confusa utilizando dois idiomas;
  • Se não aprender quando criança, nunca ficará fluente.

Tanto o atraso no desenvolvimento quando o distúrbio na fala podem acontecer falando 1, 2 ou 3 idiomas. É uma questão da criança em si e não da linguagem que ela está sendo exposta. Por isso não precisa se preocupar, é só dar o tempo necessário para a criança aprender e se adaptar.

Quanto a confusão, todas as crianças cometem erros quando estão aprendendo a falar. Seja com palavras ou formações de frases. Sendo introduzido cedo, a criança pode nem perceber que está falando dois idiomas diferentes. O que não é algo ruim. Também com o tempo ela poderá aprender a diferenciar e com quem ela pode usar aquela língua.

Basicamente tudo se refere ao tempo, a paciência e a dedicação. Inclusiva quando se começa a aprender mais tarde. Não ter aprendido uma língua na infância não define o resto da vida de ninguém. É sim um pouco mais difícil, pois a pessoa já estará apegada as regras e lógicas do português. Mas não é nada impossível de se aprender e ficar fluente!

Porque investir nesse tipo de ensino e não apenas em uma escola de idiomas?

Porque investir nesse tipo de educação?

Quantas vezes você já viu o inglês, espanhol ou alguma outra língua para requisito de uma vaga de emprego? Hoje ter o domínio de uma segunda língua na maioria das vezes não é mais considerado diferencial e sim requisito mínimo.

Além da parte da valorização da carreira, também vale para a parte acadêmica. Seu filho poderá fazer uma faculdade ou um mestrado por exemplo em outro país. Ou mesmo aprender conteúdos de outras línguas através da internet.

Agora, o motivo exatamente para investir nesse tipo de educação e não em um cursinho de idiomas?

A educação bilíngue irá abordar diversos assuntos de forma natural, assim como quando você aprendeu o português. Você desenvolve o seu vocabulário, conhecimentos e habilidades tanto na sua língua materna quanto no segundo idioma.

É possível aprender a pensar nas duas línguas, sem perder tempo traduzindo como quando estamos acostumados nos cursinhos.

E como isso vai funcionar em uma escola bilíngue? 

Como funciona a educação bilíngue na escola? 

uma professora e seus alunos

Uma escola bilíngue em nosso país, segue as mesmas orientações que todas as outras escolas brasileiras. 

É o mesmo calendário escolar e os mesmos conteúdos estabelecidos na BNCC, Base Nacional Comum Curricular.

Isso significa que os alunos das escolas bilíngues aprenderão os mesmos conteúdos que aprenderiam em uma escola não bilíngue. Desde história, matemática, ciências até raciocínio lógico e solução de problemas.

O grande diferencial é que os estudantes tem a oportunidade de aprender tudo isso através de outra língua. Utilizando o segundo idioma como uma ferramenta para aprender os conteúdos e não sendo o tópico de estudo.

Assim a segunda língua da criança deixa de ser um conteúdo maçante de gramática e passa a ser algo presente no cotidiano. Evoluindo de uma maneira natural ao decorrer do ano letivo.

Existem subdivisões dentro da educação bilíngue? Descubra no tópico abaixo:

Quais são os tipos de educação bilíngue?

No Brasil ainda faz falta a regularização e organização do ensino bilíngue. Os métodos de ensino ainda são muito novos e não tão claros em diversas escolas espalhadas pelo país.

É importante que ao decidir aplicar a educação bilíngue em casa ou mesmo escolher uma escolha, você entenda qual método está sendo utilizado. Como funciona e é claro, quais são os benefícios que trará para o seu filho.

Abaixo iremos esclarecer 3 tipos de educação bilíngue muito populares ao redor do mundo. Assim você já pode ter uma boa noção do que começar a pesquisar para as suas crianças:

Educação Bilíngue de Manutenção

A “Maintenance bilingual education” ajuda as crianças a manterem e evoluírem em sua língua nativa enquanto aprendem uma segunda língua. Ou seja, as crianças aprenderiam tanto em português quanto no segundo idioma escolhido pela família/escola.

Esse tipo de educação bilíngue é muito comum nos Estados Unidos, principalmente para famílias que falam outros idiomas em casa.

Educação Bilíngue de Transição

Transitional bilingual education, Educação bilíngue de transição, é o que o próprio nome já explica. Um método de ensino bilíngue focado na transição da criança de sua primeira língua para a segunda.

Ou seja, no começo as crianças aprendem os conteúdos em sua língua materna: o português. Ao mesmo tempo a segunda língua, como por exemplo o inglês, é introduzida aos poucos durante as aulas ou conversas.

Conforme a criança evolui e vai se sentindo mais confortável com a segunda língua vem a próxima etapa. Um momento de transição em que ela pode ser movida para outra turma na qual todos os conteúdos serão no idioma escolhido.

Educação Bilíngue por Imersão

A imersão é quando a língua que você quer desenvolver é o alvo e também a ferramenta para aprender outros conteúdos. A criança acaba aprendendo o novo idioma através de instruções e explicações de conteúdos diversos utilizando a segunda língua.

Dentro deste modelo de educação bilíngue ainda há três subdivisões aceitas atualmente:

  • Total immersion / Imersão total: O aprendizado acontece 100% do tempo na segunda língua, o idioma alvo de aprendizado;
  • Partial immersion / Imersão parcial: Metade das explicações e instruções são realizadas no idioma alvo e a outra metade na língua materna;
  • Two-way immersion / Imersão em dois sentidos: Os estudantes aprendem tanto em sua língua nativa quanto na segunda língua. Não é o mesmo que a imersão parcial pois neste caso há falantes das duas línguas na mesma sala de aula. Ou seja, em caso de uma escola português/inglês, haverá crianças que falam o potuguês e outras que a língua materna é o inglês. Ambos estarão absorvendo o mesmo conteúdo.

Está pensando em aplicar uma educação bilíngue dentro de casa mesmo? Veja a seguir como você pode fazer isso…

Tem como aplicar uma nova língua em casa?

pai lendo um livro para o bebê

É possível sim trazer a educação bilíngue para dentro de casa e ensinar ao seu filho uma segunda língua. Para isso vocês não precisam passar horas sentados em uma mesa estudando regras e gramática.

Você pode fazer isso aos pouquinhos e de maneira natural, sem ser um aprendizado maçante para criança.

Veja abaixo algumas dicas para aplicar o bilinguismo em casa com a sua família:

Utilize a segunda língua em casa

Se a sua família vive no Brasil, a criança já estará tendo o contato com o português diariamente. Cada vez que colocar os pés para fora de casa, ir para escola ou visitar um parente.

Por isso é importante que dentro de casa seja uma forma de imersão na língua desejada. Já que será ali que vocês terão oportunidade de ensinar e aprender.

Deixe a aprendizagem natural

Quando nós somos crianças, ninguém fica bravo por falarmos uma palavrinha errada. Começamos com mímicas, balbuciando sílabas e aos pouquinhos chegamos nas palavras e ainda depois nas frases.

É tudo natural de acordo com a necessidade, curiosidade e incentivo que acontece dentro de casa.

Forçar a criança a repetir e fixar cada coisa que você ensinar não será algo positivo. Fazer sentar e ficar estudando por longos períodos não irá garantir um resultado efetivo a longo prazo.

O ideal é que seja um processo natural, sem pressão ou cobranças. Assim como quando aprendemos a falar na primeira infância.

Evite a tradução das palavras

Com o mesmo exemplo de cima, quando aprendemos a falar não existe tradução do que estamos aprendendo. Se vermos um copo, alguém falará copo e nada mais. Então utilizar a segunda língua pode ser feito sem tradução.

Conforme você for utilizando as palavras mais vezes a criança acabará conectando a palavra com o objeto, ação ou sentimento.

Busque conteúdos no outro idioma

Pesquise livros, atividades, filmes e até mesmo jogos que você possa fazer no segundo idioma. Não precisa ser nada complexo, mas conteúdos que se tornem parte da sua rotina com os seus filhos.

Pegue tudo o que você usaria a sua língua materna dentro de casa e busque por materiais no segundo idioma que possam substituir isso!

Ensinando sem saber o idioma

É muito mais efetivo quando alguém da família tem o domínio do idioma. Então todos podem praticar e evoluir de maneira natural juntos.

Só que, não ter o domínio não significa que você não pode aplicar com o seu filho e trazer para as conversas do dia a dia. Trazer o bilinguismo sem ter o domínio pode ser muito mais difícil do que em famílias que já falam o idioma. Porém isso não significa que é algo impossível de se fazer.

Hoje em dia há milhares de conteúdos disponíveis na internet, aproveite isso. Cada vez que o seu filho jogar um joguinho, assistir um filme ou ouvir uma música coloque no idioma necessário.

Assim com certeza com o passar do tempo o seu filho irá desenvolver uma grande facilidade com a língua. Talvez até mesmo aprenderá o resto por sua própria conta!

Já está pensando em começar? Vamos lá então!

A partir de que idade posso começar com meu filho?

Não existe uma idade certa para aprender uma nova língua, não há nada que determine que seja muito cedo ou muito tarde.

Há um tempo atrás se falava que crianças bilíngues demoram mais tempo para se desenvolver e aprender a falar. Por causa disso muitas famílias acabaram evitando a segunda língua até que a criança dominasse bem a língua materna.

No entanto, já foram realizadas pesquisas científicas que desmentem essa questão e não motivo algum para se preocupar. Uma segunda língua não irá prejudicar em nada o seu filho, a não ser que seja um aprendizado desinteressante e estressante.

Um estudo de Harvard chegou a mostrar que entre 3 e 4 anos de idade as crianças estão em um momento extremo de aprendizado. As crianças tem uma habilidade natural para aprender e isso inclui uma língua estrangeira.

Já de acordo com um artigo do British Council, o recomendado no Reino Unido é que as crianças comecem a aprender uma nova língua entre os 6 e 7 anos de idade.

Em outra reportagem, agora brasileira, é defendido que as crianças sejam expostas a uma língua estrangeira apenas após os 10 anos de idade.

Como você observar há diversos pontos de vista diferentes quanto a idade ideal para introduzir uma educação bilíngue com o seu filho. Então vai da sua escolha e do interesse do seu pequeno para essa decisão!

Conclusão  

Apesar de tantas teorias e mitos, a educação bilíngue pode ser muito mais simples do que se parece. Tudo é questão de pesquisa, planejamento e prática. Depois que você implementar na rotina vai ficar cada vez mais fácil e mais natural. Seja isso na escola ou dentro de casa.

O importante é que você proporcione uma educação de qualidade para os seus filhos. E podendo implementar uma outra língua que abrirá várias portas no futuro, porque não? 

Você ficou com alguma dúvida sobre a educação bilíngue e como ela funciona? Deixe nos comentários abaixo, vamos adorar ajudar!

Dê uma olhadinha em outros conteúdos para melhorar a educação dos seus pequenos:

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *